O copo meio vazio da Dilma

O copo meio vazio da Dilma

Todo mundo está familiarizado com a história de enxergar o copo meio cheio ou meio vazio. Dizem que os mais pessimistas escolhem sempre a segunda opção.

Mas quando o assunto é política, o copo tem muitos formatos, tamanhos e volumes de conteúdos. Prova disso foi o pronunciamento da excelentíssima Presidente Dilma neste domingo. E não me levem a mal: eu gosto muito dela e acho sim que o PT possui ótimos políticos filiados a ele.

Bem, em seu discurso Dilma no pede para acreditarmos num copo meio cheio. E realmente, Sra. Presidente, olhando de cima o copo parece mesmo estar meio cheio. Mas pouquíssimas pessoas conseguem ter essa visão privilegiada.

diagrama_dilma_copoDaqui de baixo dá pra ver que o nível da água, embora esteja mais alto, está colocado num copo com fundo falso. Assim, o líquido parece estar acima do meio do copo, mas o volume morto não está sendo contabilizado. E embora eu acredite que o povo precisa ser positivo a respeito dessa crise, política é uma ciência exata, e que não pode se basear na fé.

A Sra. Presidente está fazendo política “com” o povo, e não “para” o povo, e esse é o pior tipo que existe. Porque o povo pode ser meio burro, mas não é meio bobo. Quem tem mais de dois neurônios consegue ver o fundo do copo, e quem – assim como você – consegue vê-lo de cima, não acredita na sua balela.

Eu enxergo sim, Sra. Presidente, que o país tem bases sólidas: na corrupção, no “jeitinho” de tirar proveito e na falta de educação. Por mais que eu goste de você, ainda espero por uma reforma política que mexa nas tais bases sólidas da nossa sociedade, nesse volume morto que impede que o copo – aparentemente na metade – esteja realmente meio cheio.

Até lá, sugiro guardar sua saliva para as plenárias.