As Cretinices de um Pastor Desumano

Não.
Deus não tem nenhuma religião
.

pastorlcaytonUm dos ensinamentos mais antigos de Gandhi é que “se queremos progredir, não devemos repetir a história, mas fazer uma história nova”. O homem, com o passar dos anos, não apenas se instruiu e aprimorou seu pensamento, ações e ferramentas, como também experimentou muita coisa. Já vivemos em períodos em que se tratavam negros como animais, em que o sexo por prazer era praticado entre homens e apenas a procriação com as mulheres. Já vivemos a explosão da AIDs associada a gays e momentos de revolta silenciosa regadas a drogas.

Sim, o homem já passou por muita coisa desde a escrita do livro sagrado. E durante todo esse tempo, aprimorou um dom que só os humanos têm: a retórica. Com ela é possível mobilizar milhões com apenas algumas vibrações de corda vocal – ou no caso do Facebook, algumas letrinhas. Ela foi responsável pelo movimento das Diretas Já, pela ascensão do Nazismo e até mesmo pelo posicionamento estratégico armamentista Norteamericano. Sim, todas elas dependeram da boa e velha retórica para marcarem a história.

Hoje a humanidade ainda caminha a passos curtos para algo que já era tido como certo lá atrás, na década de 70: liberdade, amor e fraternidade. Mas perdemos tanto tempo para implementar essas coisas que já passamos de 2001, e ainda não estamos numa Odisséia no Espaço. E continuamos perdendo tempo, gastos com dicursos racistas, homofóbicos e retaliações sem sentido por todos os lados.

Ahhhh, o dom da retórica. Quando mal empregado, pode colocar um exército sem um propósito válido nas ruas. Hoje, por exemplo, discute-se a permanência de um boçal na Comissão de Direitos Humanos. Um cretino com uma retórica maliciosa, antiética, aproveitadora, conservadora e populista. Por trás dos ensinamentos de um livro dito sagrado cheio de segundas, terceiras e quartas interpretações, mobiliza milhões a seguirem uma conduta de julgamento que não condiz à sua própria natureza, mas sim a de outros que os cercam. Prega que exista algo chamado “opção” sexual, e a posiciona como errada aos olhos de Deus, da sociedade e da política.

É triste ver um retrocesso, causado por uma boa retórica + uma má intensão + uma enorme ignorância comunitária. Mais ainda é ver que a retaliação do outro lado é pejorativa, autodepreciativa e recheada de ódio. Sim, os dois lados desta guerra estão perdendo. Mas, afinal, existe alguma guerra que gere ganhos?

“A guerra, a princípio, é a esperança de que a gente vai se dar bem; em seguida, é a expectativa de que o outro vai se ferrar; depois, a satisfação de ver que o outro não se deu bem; e finalmente, a surpresa de ver que todo mundo se ferrou.” (Karl Kraus)