Homofobia Mata #PrayForOrlando

Homofobia Mata #PrayForOrlando

Cinquenta pessoas foram assassinadas em uma boate gay em Orlando. Mais 53 ficaram feridas. O Estado Islâmico, autor dos ataques, disse que “Deus permitiu [ao atirador] atacar os imundos cruzados (…)”. O pai do atirador da boate Pulse em Orlando disse que ele odiava gays. A ex-mulher disse que ele a espancava, por isso se separou. Ele adorava armas, tinha fácil acesso a elas. Era descendente de muçulmanos.

Alguns ainda vão tentar culpar sua origem como motivo.

Jamais vão admitir que era um homem misógino, homofóbico e com fácil acesso a armamentos. É mais fácil dizer que era um terrorista e não um modelo ordinário dos homens cis, héteros que fazem a manutenção dos seus padrões de masculinidade agressiva e dona da verdade, que baseava-se em argumentos religiosos.

Sim, é verdade: o Estado Islâmico mata tanto gays quanto cristãos. Matam tudo que é diferente deles. Criam pessoas capazes de massacres com base em seus dogmas. Mas, ao invés dos cristãos perceberem o erro que é ter uma religião mal-empregada como discurso social, dizem que a associação do massacre à propagação de seu discurso de ódio são coisas completamente diferentes.

Não são.

Palavras, em cabeças doentias, se transformam em razões para insultar, agredir e até matar. E você talvez não saiba quando uma dessas pessoas está ouvindo o que você está falando. A diferença é que, no caso do EI, eles sabem.

Esse ataque terrorista demonstra o quanto a religião é capaz de criar monstros extremistas, capazes de assassinar pessoas. Mostra também o quanto o discurso de ódio, aquele que para muitos parece ‘liberdade de expressão’, pode se transformar em ‘justificativa’ para atos como este.

Esta era a hora dos cristãos olharem para o seus próprios umbigos e perceberem o quanto a segregação e o discurso de ódio são errados. Se este mesmo problema acontece com pessoas do seu grupo em outros lugares do mundo, por que empregar as mesmas ferramentas contra outros grupos em seu próprio território? Não faz o menor sentido!

Aqui em São Paulo, na semana passada, a Câmara aprovou o ‘Dia do Combate à “Cristofobia”‘. O autor afirma que proposta busca proteger a liberdade religiosa, pois ele acredita que cristãos têm sido vítimas de ataques. Diz que não podem dar sua opinião contra a homossexualidade livremente. Eles não perceberam que é só não opinar sobre a vida alheia que os ‘ataques’ param. Basta que eles louvem seu Deus, na paz do seu templo, sem atacar outras pessoas neste processo.

A religião deveria ser uma “ferramenta de fé e amor”, e não “arma de ódio e massacre”. Se a sua religião prega dogmas contra outros grupos minoritários, ela está errada aos olhos de Deus. E que Ser Superior é este que você segue, que exige que seus discípulos tomem providência em vida contra outras pessoas? Se você acredita em julgamento divino, deixe que Deus decida sobre os pecados de cada um quando chegar seu momento.

Digam NÃO a pessoas que criam dias de ‘cristofobia’ para o seu calendário.
Digam NÃO para quem se acha no direito de julgar pessoas pelo que elas são.

Homofobia MATA.