Microconto: “O Último Beijo”

Microconto: “O Último Beijo”

mao_abajurTodo dia, antes de desligar o abajur ao lado da cama e dormir, já com a mão no interruptor, eles trocavam um beijo.

Era muito importante que o beijo começasse com as luzes ainda acesas, e terminasse com elas apagadas. Não era a toa, nem romantismo exagerado: era receio. Não de que não houvesse amor, mas de que não houvesse um amanhã.

Naquele momento, naquele beijo, antes de dividirem a cama por oito horas ou mais, aquela cena era guardada na memória. Por isso a luz deveria deixar de existir exatamente durante o beijo.

Aquele momento era o último de suas vidas, todos os dias. Porque se não houvesse outro dia, aquele seria o momento que eles gostariam de guardar na memória e no coração.