O que aconteceu quando eu pedi demissão no meio da crise econômica

O que aconteceu quando eu pedi demissão no meio da crise econômica

Muitos amigos meus perderam o emprego recentemente. Parece que o mercado de comunicação chegou ao seu clímax, e começou a retrair. Olhando para esse cenário, seria loucura pedir demissão de um lugar que te paga (muito) bem.

Pois eu o fiz.

Depois de ler diversos relatos sobre a insatisfação dos millenials, e achar aquilo tudo um grandecíssimo cu doce, percebi que não é.

Vi muita vaga ruim no mercado, pedindo que você tivesse o conhecimento de um astronauta da Nasa, mas pagando o valor de um panfleteiro do centro. Até aí, “tem quem queira” – ouvi alguns dizerem. E eles tem razão: tem muita gente aí capaz, disposta a se desvirar para fazer um trocadinho mequetrefe no fim do mês. Eu, não. Eu cansei.

Como “os incomodados que se retirem” parece ser um mantra em execução contínua, resolvi me retirar e focar no que me faz feliz ao acordar de manhã. Tô me cagando de medo? Mas é óbvio que eu tô. Tenho conta para pagar, como qualquer outra pessoa. Não tenho uma casa própria – acabou o dinheiro, é rua. Mas, ao mesmo tempo, vou gastar minha vida sendo infeliz? Que tipo de vida é essa?

Eu não ligo para o dinheiro. Gosto dele, mas não perderia minha vida por ele. Pagando as contas no fim do mês eu já serei a pessoa mais feliz do mundo. Eu gosto é de qualidade de vida: quero vez a luz do sol, resolver problemas complexos, escrever até os dedos doerem, criar projetos que tenham algum significado na vida das pessoas. Nada disso foi atingido nos últimos meses, então precisei tomar as rédeas da minha vida e mostrar a ela quem é que manda.

Vou me dedicar ao meu próximo livro – sim, o “Microcontos cotidianos” foi só o começo.

Vou fazer exercícios físicos regularmente e cuidar da saúde.

Vou visitar amigos, tomar café e botar o papo em dia.

Vou fazer a minha própria rotina.

Vou cuidar de projetos pessoais, que possam me oferecer o dinheiro necessário para passar o mês.

Adeus, mercado formal.
Olá, novos desafios! =)

 

(Ilustração do Post: Carla Irusta)