Cavaleiros do Zodíaco e a diferença entre Amor e Abuso

Cavaleiros do Zodíaco e a diferença entre Amor e Abuso

Quando eu era criança, a cena do Shun aquecendo o Hyoga com seu ‘cosmos’ cor de rosa, na casa de Aquário, me deixou com as bochechas rosadas. Rolou uma vergonha inexplicável, acompanhada de uma espécie de desconforto. Parecia errado.

Essa sensação, descrita aí em cima, é o que acontece todos os dias quando a gente vê, lê ou ouve alguma coisa por aí, mas não tem com quem conversar. A gente fica sem entender como lidar com aquela informação, e acabamos tentando reconhecer padrões em coisas que já conhecemos para processá-la na nossa cabeça.

cosmosA cena do Shun e do Hyoga me deixou envergonhado não pelo fato de serem dois personagens masculinos, nem pelo fato de um deles ser ‘levemente’ afeminado, mas pela relação do toque entre eles. Eu só havia visto aquilo nas novelas da TV, quando um casal heterossexual qualquer se beijava.

Alguns anos depois, já em 1995, eu ganhei meu primeiro computador. Ele era mais do que um equipamento moderno, era uma ‘enciclopédia Barsa’ que tinha os verbetes que eu realmente queria (e precisava) ler. Nesta época os blogs eram uma forma incrível para a gente ler outras experiências, e aprender com elas. E foi ali, lendo e conversando com pessoas que eu nem conhecia, que eu descobri sobre a minha própria sexualidade.

Mas eu sempre tive uma impressão estranha sobre o ato de ser tocado. Ter partes do meu corpo exploradas por mãos que não são controladas por mim me deixava completamente desnorteado. Por muito tempo me senti assim, e acabei criando a percepção de que o toque do outro deveria ser ‘controlável’ para que eu me sentisse bem. Fui tachado de ‘frio’ diversas vezes nas minhas relações afetivas ao longo dos anos, e nunca entendia o motivo daqueles apontamentos.

Foi há pouco tempo que eu finalmente coloquei todas as peças deste tabuleiro em seus devidos lugares.

Eu percebi que o toque deve ser ‘querido’, e não ‘controlável’. Ele deve ser em comunhão de sentimentos, de uma forma que te faça querer sorrir. Ele também precisa vir de uma pessoa que te transmita confiança e respeito. Qualquer forma que não atenda nenhum destes requisitos principais é errada, e não faz bem para o nosso corpo.

O Shun e o Hyoga eram amigos, cúmplices, se amavam como irmãos. O toque do cavaleiro de Andrômeda não tinha cunho sexual, ele era um carinho daqueles que aquece o mais gélido coração. Era tipo aquele cafuné que a gente ganha dos pais quando está doente, ou aquele abraço apertado de um amigo quando estamos tristes. Se o Hyoga estivesse consciente, ele não se sentiria mal em estar tão próximo do Shun.

fiuk-aquele-beijoA malícia naquela cena tinha a ver com a ligação cognitiva que eu fiz entre a relação entre os dois personagens e os beijos que eu via nas novelas até então. Aqueles sim tinham cunho sexual, e realmente me deixavam constrangido. Eu percebi, então, que foi a novela que deturpou parte da minha percepção do que era um ato de amor, e do que era um ato libidinoso.

O amor tem muitas formas, e todas elas deveriam ser exploradas por nós. Dois homens podem sim se abraçar, chorar e precisar da ajuda de um amigo, não tem nada a ver com sexualidade. Um casal pode sim se beijar e fazer sexo, desde que isso os faça feliz, e essa é só uma forma de amar. Precisamos falar mais sobre as relações humanas, deixar claras todas as formas de amor, de uma forma que elas sejam compreendidas pela sociedade e parem de ser recriminadas – como aconteceu aqui.

Por outro lado, se algum dia você presenciar um toque feito de forma desrespeitosa, ou realizado por uma pessoa desconhecida, ou mesmo se não estiver em comunhão de sentimentos, saiba que isso é abuso. É um crime, e deve ser tratado como tal.

Isso que eu estou fazendo aqui, de contar toda essa jornada de autoconhecimento em um blog público, é a minha forma pessoal de dar um abraço com cosmos rosado em cada pessoa que estiver na mesma situação que eu estava lá em 1995. Vamos parar de criminalizar o amor, e vamos juntos lutar contra o abuso.

Abraços de Shun em todos vocês! =) #shunHugs