Aquela mania de ser “Certinho”

Aquela mania de ser “Certinho”

Você e essa sua mania de ser certinho: o chão tem que ser sólido, o futuro deve ser certo e o amor deve ser simples.

O mundo caindo ao seu redor e você, plácido, sobrevoa sobre a desordem sem medo. Porque você é tão certinho que já havia previsto isso, e comprou asas. Parece, por isso e tantas outras coisas, arrogante e metido a sabichão.

O mundo não foi feito para você, Sr. Certinho: ele só existe de verdade para pessoas que dão a cara a tapa, erram e acertam – inclusive, na maior parte das vezes, mais erram do que acertam. O mundo é feito de pessoas que querem aprender com raça, e não apenas com livros.

O amor encostado no barranco, lendo um livro e comendo uma maçã, é um simples conto de fadas. No mundo real o amor exige que você saia para buscar o livro ideal, encontre uma maçã madura e tenha dinheiro para se locomover até um barranco. Nada é tão simples quanto parece, e você não tem controle sobre todas as variáveis do mundo o tempo todo.

Então, Sr. Certinho, bote a cara no mundo, pois ele precisa de você. Não espere nenhum gigante acordar sozinho: pegue seu balde de água (de reuso) e proativamente acorde ele. Por que ele sim, o gigante, mora em um conto de fadas dentro de você.