Onde nasce o nosso preconceito?

Onde nasce o nosso preconceito?

out of boxA resposta é simples: da história de vida de cada indivíduo. O real problema não é onde o preconceito nasce, mas como lidamos com ele.

As pessoas julgam a si mesmas e às outras conforme o que elas conhecem, e o que elas viveram até aquele momento – isso é uma característica humana. Ou seja: não existe alguém no mundo que não seja preconceituoso. Estamos constantemente avaliando as coisas que vivemos e colocando uma a uma em “caixinhas” dentro da nossa cabeça, para entendermos a diversidade de tudo.

O problema acontece quando as pessoas começam a colocar suas diferenças na caixinha do “ódio”, gerando algo conhecido como intolerância. Abominar o que nos é diferente indica que estamos funcionando no modo não-criativo e, portanto, estreitando nossos horizontes internos. Para combater isso, precisamos exercitar nossa capacidade de incluir o diferente/desconhecido sem gerar conflitos com a nossa própria impressão sobre o mundo, e o que vivemos até então. Sim, eu sei, é difícil.

Vamos fazer um exercício rápido para ilustrar quanto o preconceito pode ser um bicho estranho?
Tente responder rapidamente as perguntas abaixo:

  1. Qual foi o último ator/personagem oriental que você viu em uma novela brasileira?
  2. Quando foi a última vez que você um(a) funcionário(a) transsexual trabalhou em uma empresa com você?
  3. Que programa de rádio/TV é apresentado por uma pessoa com sotaque nordestino?

Sim, algumas vezes a gente nem percebe que está vivendo neste mundo com diversidade social “seletiva”. O que podemos fazer para mudar? Viver diferente: fazer perguntas pouco usuais para as pessoas ao nosso redor (como as que eu fiz para você agora) e fazê-las pensar em conjunto com a gente. E mais do que isso: ter paciência para não destilar o ódio ao invés de compartilhar uma informação. Nem sempre funciona, eu sei… Mas isso já começa a mudar as coisas.

Até lá, ficam abaixo exemplos deploráveis de como a sociedade tem se portado (clique nas imagens para aumenta-las):

.

Preconceito Racial: Maju Coutinho no Facebook do Jornal Nacional

A foto e a reação
A foto e a reação

.

Sexismo e Machismo: Justin Bieber e Demi Lovato no Instagram

.

.

.