Vamos supor que Deus não existe…

Vamos supor que Deus não existe…

Vamos supor que 2015 anos atrás ninguém diferente nasceu.
Foi um ano como qualquer outro: vidas pacatas, poucos recursos e muita carpintaria.

Vamos supor também que as diversas outras religiões, incluindo aí o Paganismo Greco-romano, a Religião Egípcia, a Religião Mesopotâmica, o Judaísmo, o Zoroastrismo Persa, o Hinduísmo, o Budismo, o Jainismo, o Taoísmo e o Confucionismo, também nunca existiram. Não houveram Guerras Santas e confrontos como o do Afeganistão, Iraque, Israel, Sudão e Tibete, por exemplo.

Sim: vamos supor que o homem nunca conheceu a fé – ou pelo menos nunca pensou nela desta forma.

Serei punido após minha morte, caso tenha feito algo errado?
Não sei. Aliás, nem com a possível existência de um Deus eu saberia responder essa pergunta. Posso dizer que muito provavelmente você será punido em vida, caso faça algo considerado errado pela sociedade.

Mas se Deus não existe, o que será considerado errado?
Bem, o mesmo que já acontece hoje: o que o homem delimita como errado. Por exemplo: a pessoa X trabalha numa horta, e a pessoa Y rouba a comida dela, deixando X com fome. A gente sabe indicar quem está errado, mesmo sem a existência de um Deus.

E se não existe um ser superior, para quem eu recorro no aperto?
Família, amigos e qualquer instituição coletiva. Por exemplo: se estourar um cano na sua casa, você pode pedir ajuda a um vizinho. A vida em sociedade pede isso em sua essência, e quem não ajuda é excluído dos círculos sociais. Agora, se você estiver sozinho, é hora de pensar: o que será que eu fiz para ser excluído?

E a reza, que me acalma nas horas de aperto… Para quem eu rezo?
A reza é uma forma de pensamento subconsciente. É uma voz interna (processo neurológico/linguístico), que nos faz refletir e desabafar sem soltar nenhum ruído pela boca. A sua consciência ainda vai existir, e ela pode te ajudar… Continue buscando por ela no momento de aperto!

Mas então qual será meu objetivo de vida sem ninguém para adorar, ou para me guiar?
Seu objetivo passa a ser o amor pelas coisas e pessoas. Você pode passar a entender a “fé na humanidade” como o seu novo objetivo de vida. Você poderá adorar a natureza, a felicidade, o amor… As coisas boas do mundo. Afinal, você está aqui para fazer daqui um lugar melhor, havendo ou não um Deus.

Sem a bíblia, o que me direcionaria para o caminho certo?
Se você ofendesse o direito alheio, por exemplo, o seu grupo de convívio iria puni-lo. Neste sentido podemos supor que a ética e a moralidade seriam “inventadas” à tempo para salvar as pessoas de uma catástrofe social.

.

Mas esse mundo não existe,
não é mesmo?

.

(Esse post não tem a intensão de “transformar” ninguém em ateu nem de ridicularizar nenhum Deus ou religião. Este post quer fazer as pessoas refletirem sobre sua própria consciência coletiva e atitudes, independente de sua religião)