Google+ e os assassinos de redes sociais

GooglePlus” Não basta criar uma rede social: é necessário matar outra”

Pelo menos é nisso que pensam os famosos “experts em midias sociais”. Bullshit. Na real vemos cada vez mais a criação de redes que agregam pessoas de determinados nichos e tribos, como é o caso do 4chan, Foursquare, GetGlue, entre muitos outros. E esse sim é o futuro das redes sociais.

As gigantes do compartilhamentos de informações, como o Facebook e o Orkut tem em comum um futuro certo: a perda de usuários. Já falei uma ou duas vezes que hoje existem mais redes para compartilhar informações do que informações para serem compartilhadas em redes. E a verdade é que nem sempre tudo o que falamos é interessante para todas as nossas audiências, o que nos leva novamente à segmentação.

O Google+ nasceu depois de uma explosão de redes, mas já apareceu com um passo na frente. O fato de você segmentar seus amigos em “circulos” e, a partir daí, decidir com quais você quer compartilhar determinados conteúdos, nada mais é do que uma onda que ainda vai atingir outras redes.

A nova rede é perfeita então? Todos DEVEM migrar para ela? O Google é foda? A resposta é não. E não. E não.

A rede deve facilitar a vida de quem já utiliza os produtos do Google, como o Docs, Talk, Reader, Blogger, Buscas, ad eternum etc. E isso deve vir com o tempo. hoje, ela é só mais uma rede de compartilhamento em beta.

Fato é: ninguem vai aguentar muito tempo mais com tanto conteúdo aleatório na sua timeline.